domingo, 29 de abril de 2012

#eutenhoumsonho



Hoje miguelando com Flavio Duarte durante uma Free Session, o cara me fez refletir que Deus nos projeta rumo ao querer dEle e nós não atentamos para isso. Olhando para trás, podemos visualizar o quanto Ele ja fez por nós. Nosso progresso não precisa ser expresso em palavras ou atitudes, porém estampado na vida de outras pessoas que se beneficiaram por ele.
Mencionamos os nomes de alguns homens que se doaram por amor ao progresso de outros, trouxemos à memoria nomes de pessoas como  José do Egito e Martin Luther King, um que revelava sonhos, outro que se revelou através de um sonho: -Sonhou com uma vida de igualdade para todos. Foram grandes estadistas, e segundo a vontade do Pai receberam essa dádiva para cuidar de vidas em uma macro visão. A questão é que foram preparados através de suas lutas para viverem com dignidade e proporcionar essa dignidade ao povo. 
Como o povo pode viver de forma digna em um lugar onde o salário de cada um é mensurado de acordo com o  patamar que alcançam? Tudo não é trabalho? Em todo trabalho, não há de se ter responsabilidade e compromisso? Por que muitos desejam alcançar o topo de uma carreira política sem subir ao primeiro degrau? Seria por conta de desejar realmente fazer algo por alguém, por algum local? 
Não podemos afirmar, e voltando á nossa conversa dentro d`água, chegamos à conclusão de que há pessoas chamadas por Deus para dedicar suas vidas ao progresso da humanidade. Se possível até morrer por essa causa. Podemos notar o progresso de grandes estadistas que jamais colocaram em jogo o caráter cristão que possuíam em meio ao progresso político. Visavam "macro" e colocaram o povo em todas as suas metas.
Se uma pessoa trás um projeto revolucionário que não envolve, visivelmente e com muita nitidez o enriquecimento, em todos os âmbitos, de um povo. Será que dá para confiar em seu projeto?
Vivemos política, respiramos política (muitas vezes sentimos o mal cheiro), em nossas vidas, tudo é política.
Está na hora de sabermos lidar com esse tema de forma a escolher nossos representantes somente pelo laço de amizade ou interesses. Está na hora de sermos sinceros conosco, sem ser "supercondescendentes" e dizermos "não", não e não! Àquilo que nos será nocivo durante anos, que deixará uma marca  negativa impressa na memória de um povo, de uma cidade, de um país, do mundo? Devemos crer que há Josés e Martin Luther Kings hoje em dia, porém dificilmente alguém colocaria sua cabeça à prêmio e morreria pelo bem estar de todos. Observemos a história de vida de nossos candidatos a representantes, e sem exitar, diremos não. Você precisa caminhar, crescer e superar muita coisa para representar-nos em qualquer local. Não é arrogância, é a realidade nua e crua. Gerir um país, um estado, um município, uma cidade não é simples como se parece aos nossos olhos criticos. É muita responsabilidade. Não basta ter boa intenção,  ter uma religião, estar à frente de pesoas, é necessário ter caráter e coragem para investir a vida com o objetivo de transformar vidas! Proporcionando-lhes o melhor! 
Dedicar-se à elas. Fica a dica [rs].