terça-feira, 3 de abril de 2012

#metanóia

É de entristecer quando pessoas desinformadas em relação ao mundo ou mal formadas, frustradas por não terem conquistado algo que nem correram atrás para concretizar, vêm e dizem: -Esta cidade não dá nada pra ninguém, aqui só há coisas más, ninguém cresce, blá. blá, blá, blá. blá, blá. Tais pessoas se forem para uma cidade grande e terem de enfrentar um trem lotado às cinco, horas em ônibus ou metrô para chegar ao trabalho, isso se não forem abordados com uma intervenção violenta, tipo: tiroteio, helicópteros sobrevoando em ações táticas para dar cobertura aos policiais dentro de uma favela, metralhadoras e fuzis zunindo, com certeza voltarão para Ilhéus e dirão! Putz! Esta é uma cidade maravilhosa, qualidade de vida, praias lindas, pessoas maravilhosas, riem sempre quando nos vêm, sempre nos cumprimentam... etc. Deixarão de dizer que os políticos fazem isso ou fazem aquilo, e se envolverão com caráter e dignidade para melhorar o meio em que vive. Por isso que quando vão para cidades grandes se limitam a um quadrado de 4m, não falam nada e às vezes voltam tirando onda de ... sei lá o quê!
Dizem que um dos problemas da sociedade é a 'educação' e isso é algo muito complexo. Citam teóricos para defender seus argumentos, porém é difícil de se ouvir alguém comentar sobre a possibilidade de educar pessoas de forma que elas possam deixar de ser limitadas ao extremo, a ponto de satisfazerem-se com pão e circo.
O verbo educar poderia ser trocado em algum instante por 'discipular'. Seria como duplicar o caráter de certo indivíduo em outro. O discurso seria mais ou menos:- Age como eu ajo! Faça o que faço! Dura realidade é que quase ninguém deseja perder tempo com pessoas, principalmente com pessoas problemáticas. Seja em qualquer segmento da sociedade. Motivos não faltam: egoísmo, individualismo, falta de compaixão, falta de cidadania, e por aí vai.
Outro motivo para não se perder tempo com alguém que necessita de orientações para a vida, ou porque não dizer para viver bem, é o fato de que pessoas só dizem para outras que elas têm de fazer algo, sem que sejam modelos para tais pessoas. É como se dissessem:- Faça o que mando, não faça o que faço.Tais pessoas só pessoas citam teóricos da educação para fomentar seus discursos, se é que pode se dizer assim. Pessoas com caráter corrompido não têm condições de gerenciar outras, ou têm? Podem dizer que sim, pois ninguém é perfeito mesmo. É pura verdade, mas há condições de se espelhar em simples mortais que almejam viver corretamente, de forma simples e digna. Sem ranços de religiosidade, porém sérias, com os olhos voltados para uma vida digna e realista sem tirar os pés do chão.
Há pessoas que não somente falam da pessoa de Jesus Cristo, mas procuram viver simplesmente como Ele, por terem aprendido com outros que aprenderam dEle, como viver. Por que alguns acadêmicos não citam a 'pedagogia de Jesus' como exemplo para moldar, educar uma sociedade mal educada por seus diversos motivos? Pretextos diversos, um deles deve sero fato que não se deve envolver religião em assunto como esse. Talvez Jesus fora um mito, talvez não haja documentos que comprovem que Ele realmente tenha moldado, formado, discipulado, ensinado pessoas das mais obscuras classes da sociedade. Isso na concepção de uns. Com certeza alguém pode citar outra figura importante. Se realmente tal pessoa tem mostrado que é um modelo a seguir, é um bom começo.
Mas retornando ao fato da educação. Reeducar pessoas não é lá coisas para muitos. É algo sério, muito sério. A problemática é que não levam a sério essa questão e hoje em dia os fornos estão cheios de massa assando. As massas estão sendo distribuídas quase cruas, ou por que não dizer cruas? Teorias por si mesmas não educam a sociedade. A prática da teoria que deu certo em algum lugar talvez não dê certo em qualquer âmbito da sociedade. Gera filosofias, e filosofias por si só não transformam, não educam, não discipulam. Somente cidadãos transformados de verdade poderão ser agentes de transformação em meio à sociedade.
 Marcos Reis