sábado, 5 de março de 2011

O homem é realmente desumano.

O que passa na mente de alguém que maquina mal para pessoas indefesas como pequenas crianças?
O que passa na mente de alguém que para vingar-se de alguma pessoa, usa outra ao ponto de tirar-lhe a vida?
Assuntos como esses permeam blogs, jornais, revistas, dentre outros meios de comunicação gerando a oportunidade de pensarmos o real valor da vida humana para o ser humano.
Poderia lançar um Brain Storm aqui de forma que paremos para pensar qual o real valor de uma pessoa através do foco de diversas classes representantes dos sete 'pilares' que influeciam nossa sociedade como:

• Artes & Entretenimento - O que os artistas pensam de seus espectadores, dos simples mortais que ficam por trás da telinha os assistindo, sendo alvos de seus neologismos, gestos, suas modas, forma de falar, etc? Qual o real valor de seus espectadores?

• Governo & Política - O que os políticos pensam de seu eleitorado? Qual o verdadeiro nível de compromisso, qual o intuito real destes para com as pessoas com quem se comprometem durante o período de maior interesse, para não dizer, no período eleitoral. Qual o real valor de uma pessoa para os governantes e políticos em geral?

• Mídia & Comunicação - O que os comunicadores desejam atualmente? Autopromoção, voto, popularidade, instruir o povo, fama, dinheiro? Apesar de tudo isso acontecer implícitamente quando se tornam pessoas públicas. Qual o real valor de um indivíduo para essa classe?

• Ciência & Educação - Em que se empenham os Cientistas e Professores? Será mesmo que a motivação de tais classes têm sido relevantes fazendo 'Jus ' ao juramento que fizeram ao colar grau na formatura? 
A ciência realmente tem evoluído, mas atende à sociedade de forma justa os seus avanços científicos? Pode ser beneficiado por ela um simples cidadão de um local mais remoto de nosso país, de nossa sociedade?
E os professores? Realmente ensinam por amor, por dedicação? Por vocação? Ou aproveitam-se desses chavões para empurrar com a barriga a mazela de que a educação realmente pode ser a solução sim, mas não para os estudantes, e sim para suas respectivas "famílias". Sim as famílias da sociedade precisam serem educadas, e essas não frequentam a sala de aula. Será realmente que os Educadores têm essa disposição?
Educar a sociedade, por amor, por dedicação, por vocação? O problema está bem longe da escola e bem perto da família. Qual o real valor de um indivíduo para essas classes ?

• Família - A família, Célula Máter da sociedade, essa classe é a mais atingida, mais explorada por saber-se que deseducando-a, se é que pode-se usar essa palavra, o indivíduo torna-se fragilizado e facilmente manipulado, disposto a aceitar todo tipo de ajuda necessária para sua sobrevivência. Afinal, todos que desejam um lugar ao sol! Então, todo tipo de ajuda é bem vinda, não importa de quem venha! Claro que não generalizando. Trata-se daqueles que desinformados por um motivo ou outro se deixam manipular. Como a família se vê e como esta vê cada indivíduo a ela pertencente em meio à sociedade?

• Igreja & Religião - Esta classe tem sido usada por muitos como trampolim para saltos 'ornamentais', importantíssimos em meio à nossa sociedade que deixa-se persuadir acreditando que instituições podem realmente redimí-los ou isentá-los do real labor. Só há um Redentor e Esse não tem a ver com instituição. Não se explica isso pelo fato de que mantendo-se as instituições, a pessoa principal passa a ser representante primário do Redentor, a saber: Deus na terra. Isso não é verdade e podemos dedicar essa responsabilidade à Educação. Educar, ensinar a Igreja. Igreja é espiritual, não de concreto, Igreja são pessoas, vidas, religião é o termo usado para denominar a conexão de pessoas com o Deus e todos têm livre acesso à Ele, não é por intermédio de homens especiais. Como tem a igreja olhado para seus membros. Qual o real valor de um indivíduo da sociedade para a igreja?

• Economia & Negócios - Parecem que os pilares estão interligados e é claro que andam lado a lado, mas cada um tem sua função. Podemos notar que o ser humano tem se tornado o maior negócio do mundo e gera enorme economia. Sem o homem, essa classe não vinga. Tudo depende dele e deveria voltar-se para ele, o indivíduo em si, mas nem todo indivíduo é capaz de compreendê-la. Economia é algo divino. A economia tem realmente um sentido de focalizar estritamente os problemas referentes ao uso mais eficiente de recursos materiais escassos para a produção de bens. Do mesmo modo, estuda as variações e combinações na alocação dos fatores de produção (terra, capital, trabalho, tecnologia), na boa distribuição de renda, na oferta e procura e nos preços das mercadorias. Tudo isso com Equidade. Em economia, negócio, é referido como um comércio ou empresa, que é administrado por pessoa(s) para captar recursos financeiros para gerar bens e serviços, e por consequência proporciona a circulação de capital giro entre os diversos setores. 
Será que o homem tem sido visto por essas classes, por esses pilares, com uma ótica  altruísta ou meramente como número? 
Gostaria de ter uma resposta positiva em relação à minha pergunta. O que me leva a repensar muita coisa na vida é o fato de que as classes que influenciam a sociedade precisam ser reeducadas, discipuladas e isso faz-me compreender o real sentido de nossas vidas na face da terra que Deus nos deu para como peregrinos viver e influenciar.
Só Deus é humano, o homem é desumano em sua essência. Você pode dizer que não são todos e tenho de concordar, mas será que teríamos coragem de sofrer realmente ao ponto de dar nossas vidas por uma pessoa sem nenhum grau de parentesco, por 'amor'? Por isso uso o termo desumano. Quem prejudica vidas é realmente desumano!