Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março 31, 2011

SUPER AÇÃO - Histórias de Vida

Ela aproveita a oportunidade para dizer que é grata a Deus por ser capaz de realizar-se fazendo o que ama: 'surfar'! Também por ser capaz de compartilhar sobre o amor de Jesus, por Deus permitir que ela sobreviva a um ataque de tubarão. Resultado? Perdeu seu braço esquerdo. Bethany Hamilton é um exemplo de gratidão e superação!

Qualidade de vida - É para todos!

Dona Cacilda é uma senhora de 92 anos, miúda, e tão elegante, que todo dia às 08 da manhã ela já está toda vestida, bem penteada e discretamente maquiada, apesar de sua pouca visão.  E hoje ela se mudou para uma casa de repouso: o marido, com quem ela viveu 70 anos, morreu recentemente, e não havia outra solução.  Depois de esperar pacientemente por duas horas na sala de visitas, ela ainda deu um lindo sorriso quando a atendente veio dizer que seu quarto estava pronto. Enquanto ela manobrava o andador em direção ao elevador, dei uma descrição do seu minúsculo quartinho, inclusive das cortinas floridas que enfeitavam a janela.  Ela me interrompeu com o entusiasmo de uma garotinha que acabou de ganhar um filhote de cachorrinho.  - Ah, eu adoro essas cortinas... - Dona Cacilda, a senhora ainda nem viu seu quarto... Espera um pouco... - Isto não tem nada a ver, ela respondeu, felicidade é algo que você decide por princípio. Se eu vou gostar ou não do meu quarto, não  depende de como a mobília va…

Perda de Identidade - Conto Urbano

Aprendi o silêncio com os faladores, a tolerância com os intolerantes, a bondade com os maldosos; e, por estranho que pareça, sou grato a esses professores. Khalil Gibran

Hoje, 31 de março de 2011, vivenciei um fato nada rotineiro e com certeza, atitude digna de tirar o chapéu. A caminho do trabalho, viajava em uma condução que não tinha o hábito de viajar, mas lá estava. O motorista, bem humorado, alguns trabalhadores falando alto e em bom tom sobre as empreitadas do dia. Sobre o que iriam ou não fazer naquele dia de labor. Confesso ficar admirado com tanto absurdo que ouço de tais companheiros de viagem. Às vezes me deixam bronqueado pelo fato de ter apenas 20 minutinhos de silêncio e descanso, porém tenho de escutar coisas do tipo: Hoje nadianta! Vou subi lá pacima, pegá um papelão e dormí o tempo todo! O encarregado que se vire! Isso como se tal pessoa não fosse contratada para laborar em favor da empresa, recebesse pelo seu labor diário, e mais, como se a empresa ou o encarregado o…